Vírus HPV é o responsável por 90% dos casos de câncer de colo de útero

São Paulo, SP – O câncer de colo do útero atinge mais de 16 mil mulheres no Brasil por ano. Esses são os dados publicados recentemente pelo Instituto Nacional do Câncer (INCA), que já o leva a ser o terceiro tipo de câncer que mais acomete a população feminina.

De acordo com o médico ginecologista, Dr. Rubens do Val, o número de casos da doença tem crescido bastante, devido ao aumento da transmissão do Papiloma vírus. “O HPV é o principal agente causador do câncer de colo do útero. Quando a incidência de infecção por esse vírus aumenta, obviamente que também cresce a incidência do câncer de colo do útero,” explica.
O HPV é um vírus que pode ser transmitido somente através da relação sexual, seja ela uma relação vaginal, anal ou oral. Esse é um tipo de infecção que pode ser silenciosa, ou progredir de forma lenta, tendo os sintomas descobertos apenas quando já está em um estágio avançado. “Os HPV menos graves podem causar verrugas, como sintoma. Os HPV ditos oncogênicos mais graves, podem tardiamente levar ao sangramento vaginal principal sintoma.” comenta o Dr. Rubens.

Mutação em morcego fez novo coronavírus passar a humanos, aponta estudo

Um grupo de pesquisadores italianos identificou amutação genética que permitiu ao coronavírus infectar seres humanos e não mais apenas animais. O estudo foi conduzido pela equipe de estatísticas médicas e epidemiologia molecular da Universidade Biomédica de Roma e foi publicado no Journal of Clinical Virology.

Ao estudar as sequências genéticas do vírus, os pesquisadores reconstruíram as mutações até descobrirem o que era decisivo para o chamado “salto de espécies”, a alteração que permitiu a um vírus típico de animais, em particular de morcegos, tornar-se capaz de atacar o homem. “Foi uma mudança decisiva, uma mutação muito particular que ocorreu entre 20 e 25 de novembro”, disse Massimo Ciccozzi, professor responsável pelo estudo.

“Como todos os vírus, o SarsCoV2 muda constantemente e busca alterar sua aparência para estar em equilíbrio com o sistema imunológico do hospedeiro”, explicou ele. A mutação ocorreu em uma proteína de superfície chamada “spike”, que o vírus utiliza para agredir as células e se multiplicar. “Foi assim que fez o salto de espécie. E é uma proteína bastante comum na história evolutiva dos vírus.”

Saiba o que fazer caso você apresente sintomas do coronavírus

O Governo do Distrito Federal (GDF) divulgou mais informaçõe sobre como agir em caso de percepção dos sintomas de coronavírus. Entenda o passo a passo e saiba como reagir à doença de forma eficaz:

O que fazer em caso de sintomas da doença

1. Procure a emergência da unidade de saúde particular mais próxima, munido de máscara respiratória.
2. Informe ao profissional de saúde sob a suspeita durante a triagem e responda às perguntas sobre últimas viagens internacionais e possível contato com pessoas infectadas ou viajantes,
além de citar os sintomas.
3. Em caso de suspeita positiva, o paciente será encaminhado para o isolamento para aguardar o procedimento de teste do coronavírus.

4. O enfermeiro, munido de equipamento de proteção, deverá colher a amostra respiratória para o exame. O material colhido corresponde a uma secreção nasal.
5. Aguarde o resultado dos exames em isolamento.

6. Em caso de resultado positivo, o profissional de saúde avaliará a necessidade de internação em UTI a julgar pelo agravamento do quadro. Caso os sintomas sejam regulares, o paciente será encaminhado ao isolamento domiciliar.
7. O acompanhamento da evolução do caso será feito pela Atenção Primária de Saúde (APS), cujos profissionais receberão treinamento adequado quanto ao uso de EPI e manejo clínico. Os profissionais da APS poderão reencaminhar os pacientes para as unidades de referência, caso haja piora na evolução clínica.

Coronavirus: Escolas amanhecem fechadas em Brasília

Escolas e faculdades públicas e privadas amanheceram com os portões fechados nesta quinta-feira (12/3). Aderindo o decreto publicado em edição extra da última quarta (11/3), as aulas foram suspensas até segunda-feira (15/3).

No portão dos colégios públicos um aviso com o texto do decreto foi fixado. A medida foi tomada devido à pandemia do novo coronavirus.

No colégio particular Dom Bosco, na 702 Sul, nenhum aluno compareceu. De acordo com o coordenador pedagógico Fernando Pinheiro, a maioria dos pais entraram em contato com a instituição na noite de quarta-feira para saber como proceder.

“A orientação dada foi que as aulas estão suspensas. No entanto, estamos aguardando um posicionamento do jurídico para definir se vamos acatar a determinação dos cinco dias”, explica Pinheiro.

Ministros avaliam que Regina Duarte deve cair

Após indicações que desagradaram a Jair Bolsonaro, e demonstrações de insegurança, integrantes do núcleo duro do Palácio do Planalto afirmaram que Regina Duarte não vai resistir às pressões do cargo

Regina Duarte se revolta com Bolsonaro: “Precisamos saber quem é quem”
 Ministros do governo disseram ao chefe do executivo nacional que não acreditam que Regina Duarte resistirá às pressões do cargo de secretária da cultura, aponta a colunista do Globo Bela Megale.

Regina defendeu nomeações no departamento de sua responsabilidade que não agradaram a Jair Bolsonaro, consolidando a impressão que os integrantes do núcleo duro do Palácio do Planalto formaram antes mesmo da posse, na última quarta-feira (4), da quarta pessoa a comandar a área de Cultura.

O atual ministro-chefe da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, reagindo a queda cada vez mais previsível, tentou emplacar nomes na equipe da atriz, com a finalidade de blindá-la

Lula denuncia Bolsonaro na Europa

Foto: Radio France

Segundo a Folha de S. Paulo, após o convite do Papa Francisco há quase um mês, Lula se concentra em criticar Jair Bolsonaro durante sua nova turnê europeia.
No fim de semana, no título do Le Monde, para entrevista com o ex-presidente, “Lula: O remédio contra Bolsonaro é mais democracia no Brasil”.

Já a Radio France destacou a fala de Lula de que Bolsonaro é “formado em autoritarismo”. Na Suíça, em entrevista à RTS, a manchete escolhida foi “Ainda ‘cheio de energia’, Lula pena que ‘a esquerda pode voltar com força’”.

Seu ex-chanceler, Celso Amorim, deu entrevista no Rio a Gideon Rachman, colunista de política externa do britânico Financial Times, também sobre Bolsonaro: “O que ele quer é subordinação total aos EUA e em particular a Trump. Isso nunca aconteceu antes no Brasil, nem mesmo nos piores períodos do regime militar”.

Ministros querem que Bolsonaro peça cancelamento dos atos do dia 15

Atos convocados por Jair Bolsonaro estremecem relação do governo com o Congresso
Atos convocados por Jair Bolsonaro estremecem relação do governo com o Congresso (Foto: Esq.: Carolina Antunes – PR / Dir.: ABR)
 Ministros do governo federal estão se mobilizando contra as protestos marcados para o dia 15 contra o Congresso Nacional, que foram convocados por Jair Bolsonaro. Membros do alto escalão avaliam que é necessário um entendimento com parlamentares, principalmente, levando em conta o fraco desempenho de 1% do PIB (Produto Interno Bruto) em 2019 e o coronavírus.

“URGENTE: Derretimento da economia e recrudescimento de surto de coronavírus viram argumentos de ministros contra atos no dia 15/3 e em prol do entendimento com Congresso. Em sua coluna publicada no BR Político, a jornalista afirma que “o aceno ao entendimento e o convite a que o governo lidere uma agenda propositiva de reformas, feito pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia, foi lido no governo como um convite a uma trégua na guerra entre os Poderes, dado o susto com a iminência cada vez mais clara de uma recessão global de tamanho ainda imprevisível”.

Partidos pequenos terão dificuldades para atingir o quociente eleitoral

prazo para que vereadores mudem de partido antes de se lançarem candidatos ao pleito municipal deste ano, teve início na última quinta-feira e segue até 3 de abril. É a chamada “janela partidária”, permitida, neste caso, apenas para o Legislativo municipal. A situação das legendas pequenas no processo de desfiliação e filiação ainda não é certa. Especialista aponta para um possível aumento de candidatos interessados em partidos grandes e um encolhimento dos menores.

Doutorando em Ciência Política pela Universidade de São Paulo (USP), Paulo Vicente de Castro diz que esta é a primeira eleição proporcional na qual as coligações partidárias são vedadas. A mudança foi aprovada no Senado, em 2017, e passa a valer este ano. Isso quer dizer que os partidos menores precisarão atingir o quociente sem a ajuda das alianças. “Funciona como uma espécie de cláusula de barreira informal. Com a proibição das coligações, a expectativa é de que o jogo fique mais difícil para partidos pequenos”, pontua Castro, que se dedica a estudos de processos eleitorais e partidos políticos.
Antes, as alianças favoreciam os partidos menores, uma vez que, depois do pleito, para uma legenda participar da distribuição de cadeiras –– ou seja, para conseguir vagas nas Casas Legislativas era necessário atingir um quociente eleitoral –– a divisão de votos válidos (dispensando os nulos e brancos) pela quantidade de vagas. Castro lembra que os partidos pequenos, que não fazem muitos votos por si mesmos, faziam coligações com partidos fortes para que o grupoamento atingisse o quociente e pudessem participar da distribuição de cadeiras, conseguindo vaga para os candidatos de suas legendas.
Para o deputado federal Osires Damaso (PSC-TO), a proibição de coligações não atrapalhou apenas as legendas pequenas, mas também as grandes. O parlamentar afirma que o PSC tem feito um amplo trabalho no Estado para conseguir mais candidatos. “Por não tê-las, os pré-candidatos estão sentindo necessidade de se juntar na mesma sigla partidária”, diz. Apesar de não ser um partido grande, Damaso afirma que o PSC tem obtido um bom resultado, inclusive de adeptos de outras legendas.

Migração

Deputado federal por Goiás, o delegado Waldir Soares (PSL) garante que a perspectiva é de crescimento da sua legenda, mesmo sem a presença do presidente Jair Bolsonaro. “Ele não tem toda essa expressão que vocês esperam que tenha. Ele foi eleito em uma onda”, afirmou o parlamentar sobre o ex-aliado. Para Waldir Soares, as eleições municipais são diferentes e muito distantes do cenário que foi construído durante a eleição presidencial. O parlamentar afirma que o PSL, hoje, possui horário eleitoral e recursos partidários, e que isso atrairá candidatos.
Também doutoranda na área de Ciência Política da USP e professora de pós-graduação da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP), Gizele Filotto afirma que a lógica de que, no geral, um político tende a migrar para um partido maior que o dele é algo que agora faz ainda mais sentido. “Principalmente com as regras eleitorais atuais, os partidos têm incentivos para lançar candidaturas competitivas, em vez de só um puxador de voto”, explica, referindo-se à minirreforma eleitoral, de 2015, que passou a prever que candidatos para vagas no Legislativo precisam ter pelo menos 10% do quociente eleitoral. Mas outros fatores também influenciam, como explica a professora. “O partido tem expectativas de mais ganhos, mais candidatos competitivos, além, claro, de recursos para campanha”, pontua.
Sem direito a coligações e obrigados pela fidelidade a se manterem na mesma legenda por toda uma legislatura, a janela partidária é uma oportunidade de fôlego para muitos políticos, como explica a advogada eleitoral Angela Cignachi. Por vários motivos, muitos deixaram de se identificar com o partido pelo qual se elegeram em 2016. Ela afirma que o número de mudanças de agremiações costuma ser alto, mas com pouca variação. “Essa alteração foi feita via emenda constitucional, e é uma forma de libertar os parlamentares para concorrerem por outras legendas”, explica. E acrescenta:
“Acho que haverá bastante mudança. A fidelidade partidária foi reconhecida pelo STF (Supremo Tribunal Federal) via jurisprudência, e isso engessou os parlamentares. Mas, muitas vezes, há divergência entre filiados e a janela serve para isso, para possibilitar uma libertação para concorrerem. Como é eleição municipal, há muita diversidade de partidos e candidatos e situações muito específicas para cada localidade”, detalha a especialista.

Coronavírus: Brasil tem 207 casos suspeitos e dois confirmados

Em São Paulo, pessoas começam a usar máscaras de proteção após confirmação de caso de coronavírus no Brasil (27/02/2020)

O Ministério da Saúde atualizou na noite deste sábado o balanço das infecções por coronavírus no Brasil. São dois diagnósticos confirmados da doença, ambos em São Paulo, de homens que voltaram de viagem à Itália nas últimas semanas, e 207 casos suspeitos em quinze estados e no Distrito Federal.

O paciente que teve o diagnóstico confirmado neste sábado é um homem de 32 anos residente em São Paulo que chegou de viagem da Itália em 27 de fevereiro. Já durante o voo, procedente de Milão, no norte do país europeu, o paciente apresentou sintomas e usou máscara facial, segundo a Secretaria de Saúde de São Paulo.

O homem foi atendido pelo Hospital Israelita Albert Einstein nesta sexta-feira, quando fez o exame para a doença e relatou que havia tido febre e dores muscular e de cabeça. O paciente está em isolamento domiciliar, uma vez que o quadro clínico é leve e estável. O homem teve contato apenas com a esposa, que não apresentou sintomas da infecção, mas também está em isolamento domiciliar.

O primeiro paciente também é de São Paulo e viajou para a Itália. Os dois homens que testaram positivo para o novo coronavírus não possuem vínculo entre si.

Deputado Caveira visita Novo Repartimento

No dia 29, o deputado estadual Delegado Caveira reuniu-se com várias lideranças no distrito da Vitória da Conquista do Carajás e pautou sobre políticas públicas, melhorias para o distrito e também para o município de Novo Repartimento-PA, falou ainda sobre os trabalhos já desenvolvidos na Assembleia Legislativa do Estado do Pará, dentre a frustrada CPI da CELPA, economia INÉDITA de verbas parlamentares que já ultrapassam mais 2 milhões e meio de reais e outros assuntos parlamentares!
A imagem pode conter: 12 pessoas, pessoas em pé