Home / Política / Fragilizado pelo caso Coaf, Flávio Bolsonaro chega discreto no Senado

Fragilizado pelo caso Coaf, Flávio Bolsonaro chega discreto no Senado

Quando foi eleito em outubro com mais de quatro milhões de votos, o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) era visto como nome certo entre as estrelas do novo Congresso.

Seu apoio era disputado por candidatos a governador, aliados e analistas diziam que e o “Zero Um”, filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro, tinha tudo para ser o líder do governo ou até presidente do Senado. Flávio, no entanto, chegou ao dia da posse, na sexta-feira, 01, fragilizado pela investigações sobre movimentações financeiras atípicas de seu ex-assessor Fabrício Queiroz.

Em rápida entrevista coletiva, Flávio teve que responder sobre a decisão do ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), que recusou seu pedido para que o inquérito que investiga Queiroz no Ministério Público do Rio fosse trancado. Indagado pelo Estado na sexta-feira, 1, se as denúncias prejudicam sua atuação no Senado, Flávio negou e procucou demonstrar tranquilidade.

“De forma alguma. Estou só aguardando o momento para ver lá no Supremo o que aconteceu. O que tiver que esclarecer vamos esclarecer. Tranquilo”, disse ele. Minutos depois, o senador fez o juramento de posse sob gritos de “Queiroz” vindos do fundo do plenário.

Check Also

Eleições 2020: propaganda eleitoral no rádio e na TV começou nesta sexta-feira

A propaganda eleitoral gratuita dos candidatos a prefeito começou nesta sexta-feira (9) no rádio e na …