Polícia desarticula esquema interestadual de tráfico e apreende mais de 41kg de drogas

Polícia desarticula esquema de tráfico interestadual de drogas em Conceição do Araguaia, no Pará.  — Foto: Reprodução / Polícia CivilPolícia desarticula esquema de tráfico interestadual de drogas em Conceição do Araguaia, no Pará.  — Foto: Reprodução / Polícia Civil

Polícia desarticula esquema de tráfico interestadual de drogas em Conceição do Araguaia, no Pará. — Foto: Reprodução / Polícia Civil

Mais de 41 quilos de drogas e uma carga de centenas de cigarros contrabandeados foram apreendidos pela Polícia Civil do Pará em Conceição do Araguaia, no sudeste do estado, segundo informações divulgadas neste domingo (22).

O esquema de tráfico interestadual foi desarticulado pelos policiais e uma mulher foi presa em flagrante. Segundo a Polícia, a droga estava sendo transportada em uma bagagem que estava dentro de um ônibus que fazia a linha Goiânia, em Goiás, a Redenção, no Pará, no sábado (21).

A Polícia informou que a operação foi resultado de dois meses de investigações sobre o esquema de tráfico, utilizando o transporte rodoviário.

Homem retalha cachorro a golpes de facão em Marabá

 | Reprodução/Debate Carajás

Acusado de retalhar um cachorro a golpes de facão, Leandro Chaves Pinto foi autuado pelas equipes da Guarda Municipal de Marabá (GMM) e da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma), nesta sexta-feira (20), por volta das 10h, no Residencial Jardim do Éden, núcleo Morada Nova, em Maraba, sudeste paraense.

Ao chegarem ao local da denúncia, os agentes encontraram o animal amarrado do lado de fora da casa de Genilda Silva, proprietária do bicho, sem nenhum atendimento veterinário, após ela ter saído de casa para trabalhar. Genilda foi autuada por crimes de maus tratos e negligência.

Leandro Pinto foi apontado pelos vizinhos como o agressor do cachorro. Ele é acusado de utilizar um facão para tentar matar o bichinho. O suspeito foi autuado por crime ambiental e contra a fauna pela 21ª Seccional Urbana de Polícia Civil.

O animal foi conduzido para uma clínica veterinária, onde recebeu os primeiros socorros.

Foragido da Polícia, vereador de Ananindeua se entrega à Justiça

O advogado e vereador de Ananindeua, Hugo Atayde (PSDB), foi até o Fórum de Ananindeua se entregar espontâneamente à Justiça na noite desta sexta-feira (20). Ele é suspeito de integrar um grupo de extermínio.

Hugo já era investigado pela Polícia Civil do Pará e deveria ter sido preso na última quinta-feira (17), quando a PC deflagrou a operação Anonymous II, que combate a atuação de grupos de extermínio e milícias na região metropolitana de Belém. Na oportunidade, sete policiais militares foram presos e cumpridos nove mandados de prisão preventiva e 12 de busca e apreensão.

O vereador, que também é ex-diretor da Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito (Semutran), tentou se defender na internet, por meio de vídeos, e pediu ajuda à OAB no caso. A Polícia Civil ainda procura um agente de trânsito da Semutran, que está foragido.

De acordo com a Polícia Civil, a atuação dos grupos de extermínio, em sua grande maioria formados por agentes de segurança pública, é responsável por um elevado número de homicídios ocorridos nas periferias de Belém, Ananindeua e Marituba.

Desde a primeira Operação Anonymous, em março deste ano, os desdobramentos das investigações possibilitaram solicitar ao Poder Judiciário mandados de prisão e de busca e apreensão. Durante a operação, diversos objetos foram apreendidos em poder dos investigados. Entre os objetos estão armas, coletes balísticos, celulares, computadores, carregadores e até um drone, que era usado para monitorar vítimas e a aproximação de policiais. O delegado-geral explicou que todo o material apreendido vai passar por perícia. A expectativa é que, com as investigações, outros crimes possam ser esclarecidos.

Violência: conselheiro tutelar é assassinado em Rio Maria

Conselheiro tutelar é morto a tiros em Rio Maria, no Pará. — Foto: Reprodução / Arquivo PessoalConselheiro tutelar é morto a tiros em Rio Maria, no Pará. — Foto: Reprodução / Arquivo Pessoal

Conselheiro tutelar é morto a tiros em Rio Maria, no Pará. — Foto: Reprodução / Arquivo Pessoal

Deve ser enterrado neste sábado (21) o corpo do conselheiro tutelar assassinado a tiros em Rio Maria, no sul do Pará. Gutemberg Santana de Souza foi morto na noite de sexta-feira (19).

A Polícia já começou a ouvir depoimentos de testemunhas. Segundo a Polícia Civil, o atirador chegou de moto e surpreendeu a vítima na casa de um amigo no centro da cidade. O criminoso fez vários disparos e fugiu.

Gutemberg Santana coordenava o Conselho Tutelar do município há seis anos e era considerado forte candidato à reeleição.

A Polícia busca imagens de câmeras para tentar identificar o assassino. Informações sobre o caso podem ser repassadas de forma anônima pelo Disque Denúncia, no 181.

Salada crua de tomate, alface, cebola, repolho e cenoura

 

1. Salada crua de tomate, alface, cebola, repolho e cenoura

Ingredientes:

  • 1 folha grande de alface cortada em tiras;
  • ½ tomate médio cortado em rodelas;
  • 1 folha de repolho roxo cortada em tiras;
  • ¼ de cebola média picada;
  • 1 cenoura pequena ralada;
  • Sal a gosto;
  • 1 colher de sopa de orégano.

Modo de preparo:

  1. Lavar bem e juntar todos os vegetais em uma tigela.
  2. Misturar tudo e temperar com o sal e o orégano e servir-se. Bom apetite!

 

AGIOTAGEM – Investigação alcança 11 prefeituras do Pará e morte de 2 prefeitos

Uma operação, batizada de Redoma do Lago, feita pela Divisão de Investigações e Operações Especiais (DIOE) em conjunto com a Procuradoria Geral do Ministério Público do Pará, investiga a existência de um esquema criminoso que envolve agiotagem nas prefeituras de Goianésia do Pará, Tucuruí, Anapu, Cametá, Cumaru do Norte, Jacundá, Novo Repartimento, Pacajá, Parauapebas, Rondon do Pará e Tailândia.

As investigações iniciais feitas pela Procuradoria da Prefeitura de Tucuruí mostraram uma nova modalidade de fraudes para lesar os cofres públicos das prefeituras. Trata-se de agiotagem para bancar campanhas de candidatos, com contrapartida de sociedade da organização criminosa no mandato.

Neste caso, o candidato assume compromisso com os agiotas de pagar a dívida e de entregar várias pastas municipais para o grupo criminoso. Em 8 de março deste ano, o procurador-geral do MP do Pará, Gilberto Valente Martins, recebeu uma denúncia da Procuradoria do município de Tucuruí, relatando o modo de agir da quadrilha no município e em outras prefeituras paraenses.

Só em Tucuruí, a quadrilha desviou R$ 180 milhões dos cofres municipais. O golpe foi constatado por uma auditoria e perícia contábil feita pelo contador e perito Kleber da Cunha Ota nas notas de empenhos, notas de liquidação e ordens de pagamento entre primeiro de janeiro de 2015 a 30 de abril de 2018.

Foi constatado “grande volume de pagamentos irregulares, frutos de processos licitatórios e contratos realizados à época para um grupo de empresas, tendo à frente o empresário Alexandre de França Siqueira, sócio majoritário e administrador das empresas”.

Uma parte da denúncia da Procuradoria da Prefeitura de Tucuruí diz o seguinte: “Aqui destacamos tão somente os pontos relevantes que evidenciam uma organização criminosa que atuava no município de Tucuruí ao arrepio da lei penal, durante o período de 01 de janeiro de 2015 a 31 de julho de 2017 e, retornando, no período de dezembro de 2017 a 30 de abril de 2018, constatando práticas de direcionamento em certames licitatórios e fraudes nos processos licitatórios, perpassando por simulação de execuções de prestação de serviços para validar as liquidações das despesas, até chegar às ordens de pagamentos, realizadas com documentos fiscais inidôneos e cheques utilizados para pagamentos com assinatura totalmente divergente da assinatura padrão oficial do prefeito Jones William da Silva Galvão, assassinado em 25 de julho de 2017, ensejando tudo para o efetivo desvio de recurso público”.

A denúncia aponta o empresário Alexandre Siqueira França como chefe do esquema criminoso, sendo ele titular de várias empresas que ganharam licitações nos municípios envolvidos. Alexandre foi o financiador da campanha do prefeito assassinado de Tucuruí, Jones William.

A maioria dos cheques descontados tinha como beneficiárias as empresas de Alexandre França. O esquema era repetido sistematicamente nas outras prefeituras. Um inquérito corre em segredo de justiça.

Além de França, estão envolvidas a viúva de Jones William, Graciele Silva de Sousa Galvão, funcionária do Banpará que facilitava os descontos dos cheques e que também descontou cheques pessoalmente enquanto o corpo do marido era velado; Poliana da Silva Rocha, gerente da agência do Banpará de Goianésia; Moisés Gomes Soares Filho, secretário municipal; Odir José Moraes Viana, empresário; Firmo Leite Giroux, ex-superintendente do IPSET (Instituto Previdenciário de Tucuruí); Andrey Fernandes Mateus, servidor público.

Outros envolvidos no esquema criminoso também estão sendo investigados, segundo apuração do Ver-o-Fato. Aguarde novos detalhes. Texto: Paulo Jordão

ALTER DO CHÃO – Área de incêndio foi invadida por grileiro foragido

Por se tratar de um dos balneários mais famosos do país, a região de Alter do Chão é objeto de cobiça das indústrias turística e imobiliária e sofre pressão de invasores de terras públicas. Em 2018, o grileiro Silas da Silva Soares foi condenado pela Justiça Federal por desmatamento ilegal dentro da Área de Proteção Ambiental (APA) Alter do Chão. Há suspeita de que um dos focos de incêndio dessa semana tenha sido iniciado em área invadida por ele.

Silas Soares foi condenado a seis anos e dez meses de prisão e multa, por instalar um loteamento urbano privado e promover desmatamento ilegal na região do Lago Verde. A sentença completa um ano neste mês de setembro, mas o réu permanece foragido.

Além da denúncia criminal contra o grileiro, tramita um processo civil, iniciado pelo Ministério Público do Estado do Pará (MPPA) e posteriormente enviado para a Justiça Federal a pedido do MPF, para obrigar a prefeitura de Santarém a fiscalizar e evitar a instalação de ocupações irregulares nas margens do lago.

No processo civil, o grileiro Silas da Silva Soares foi condenado a pagar pela recuperação da área degradada, mas como ele continua foragido, o MPF apresentou pedido à Justiça para que a prefeitura de Santarém apresente e execute o Plano de Recuperação de Áreas Degradadas.

Vereador é fugitivo na Operação contra milícias

Desde as 5h da madrugada de hoje uma Força-Tarefa incluindo cerca de 70 policiais civis e militares e o Gaeco do Ministério Público do Estado do Pará deslanchou a Operação Anonymous II e prendeu envolvidos com milícias e grupos de extermínios que operam na Região Metropolitana de Belém, responsáveis por elevado número de homicídios.
O vereador de Ananindeua Hugo Athayde, advogado e ex-diretor da Semutran – Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte de Ananindeua –  famosa pela truculência de suas abordagens -, acusado de ser um dos líderes da milícia, conseguiu escapar do cerco e agora está declarado foragido e sendo caçado pela polícia. É o segundo parlamentar da Câmara Municipal de Ananindeua envolvido com o crime organizado e milícias. Antes dele, o Gordo do Aurá ficou célebre por escapar de atentado cinematográfico e depois acabou executado em via pública sem que até hoje tenha sido descoberta a autoria. Sete alvos são da PMPA, incluindo um oficial, o tenente-coronel Marcelo Prata, ex-comandante do 5º BPM de Castanhal. Estão sendo cumpridos doze mandados de busca e apreensão, além dos nove mandados de prisão.
A maioria dos crimes é de competência da Justiça Militar. O promotor de justiça militar Armando Brasil instaurou um procedimento investigativo desde o mês passado, tem colaborado com a Polícia Civil e agora vai continuar o desdobramento dessa investigação que redundará em mais prisões de militares envolvidos com grupos de extermínio e milícia. Segundo o promotor, o tenente-coronel Marcelo Prata desviou grande quantidade de armas pesadas como fuzis, pistolas e metralhadoras, além de munições, para abastecer grupos de extermínio e milícia. A reserva de armamento do 5º BPM diminuiu consideravelmente e ensejou a investigação. Foram desviadas mais de mil munições calibre ponto 40 MM para treinamento, inclusive usadas na chacina do Guamá.
Os presos até agora são o tenente-coronel Marcelo Araújo Prata, Paulo Henrique Dias Barros (da reserva), Erika Pantoja Carneiro da Silva(da reserva), Thiago Costa Vetillo, Arthur Rinaldo Cordeiro dos Santos (da reserva) e Leonardo Machado Santos (apontado como principal executor dos crimes).
Antes de entrar em ação, a equipe recebeu um briefing na Secretaria de Estado de Segurança Pública, hoje cedinho (fotos).

Apresentadora da Globo chora ao vivo ao noticiar morte de pai e filho; veja o vídeo

 | Reprodução

Muitos profissionais da televisão brasileira  já passaram por diversas situações bem complicadas enquanto apresentam ao vivo e, é claro, que isso por muitas vezes acaba viralizando na internet. Agora, quem acabou chamando atenção dos telespectadores e mais tarde dos internautas foi a apresentadora da Globo, Ana Luíza Guimarães, 52 anos. Isso porque a jornalista do RJTV 2ª edição não conseguiu segurar a sua emoção e mostrou o quanto ficou abalada após transmitir uma triste notícia.

A apresentadora Ana Luíza Guimarães no comando do RJTV 2º edição (Foto: Reprodução/Globo)

Mesmo tentando suprimir as suas emoções, a contratada da Globo acabou quebrando o protocolo da emissora carioca e deu o que falar em todas as redes sociais. Ana Luíza recebeu uma relato avassalador enquanto estava ao vivo no telejornal na noite desta terça-feira, 17 de setembro, e anunciou a morte de um pai e filho em um terrível incêndio no Rio de janeiro. Guimarães ficou com a voz completamente embargada enquanto tentava transmitir as informações sobre a tragédia.

Ana Luíza Guimarães, apesar de ser uma jornalista experiente com anos de carreira precisou respirar fundos diversas vezes para conseguir continuar falando sobre o caso. A apresentadora da Globo ainda pediu desculpas ao público por ter se emocionado com a situação.  “Desculpa, gente. Às vezes é duro”, desabafou a contratada. Na reportagem que explicava a tragédia no RJTV, mostrou que um homem, de 35 anos, e o seu filho, de apenas um ano, estavam no apartamento deles, no bairro de Higienópolis, quando o local começou a pegar fogo sem mais, nem menos.

Ainda de acordo com os relatos, os vizinhos tentaram apagar o jogo e prestar socorro, mas não conseguiram.

‘Maníaco em série’: Polícia Civil indicia Marinésio Olinto por crimes contra 8 mulheres no DF

O delegado Veleuziano de Castro Salgado é responsável pelos inquéritos que envolve Marinésio Olinto — Foto: Afonso Ferreira/G1

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) indiciou o cozinheiro Marinésio Olinto, de 41 anos, em sete inquéritos que apuravam crimes contra mulheres na capital.

Segundo a corporação, há indícios suficientes para concluir que o homem – chamado de “maníaco em série” por investigadores – atacou pelo menos oito vítimas. Outras quatro acusações ainda estão sob apuração da Polícia Civil (entenda abaixo).

Os inquéritos foram enviados ao Ministério Público do DF, que vai decidir se apresenta denúncia contra o suspeito. Na quarta (18), Marinésio foi denunciado pelo assassinato da funcionária do Ministério da Educação (MEC) Letícia Sousa Curado Melo, de 26 anos.

Ele também confessou o homicídio da empregada doméstica Genir Pereira de Sousa, de 47 anos.

Os sete inquéritos concluídos envolvem oito mulheres que teriam sido atacadas por Marinésio (veja lista abaixo):

  1. Assassinato da advogada Letícia Sousa Curado Melo, de 26 anos.
  2. Abuso sexual contra duas irmãs, de 18 e 21 anos. Elas usaram uma barra de ferro para conseguir fugir do carro.
  3. Em 2015, uma mulher de 25 anos, que foi abordada próximo ao Hospital Regional de Planaltina. De acordo com os investigadores, o cozinheiro tentou esganar a vítima, mas ela consegui fugir. De acordo com a polícia, o carro do irmão do suspeito foi usando no crime.
  4. Uma mulher de 39 anos. A vítima teria sido atacada entre 2013 e 2014. Em depoimento, ela contou que foi abordada em Sobradinho. O cozinheiro a levou ao Polo de Cinema de Sobradinho, mas a mulher conseguiu descer do carro e fugir.
  5. Uma jovem que à época tinha 19 anos contou ter sido abordada em 2017, no Vale do Amanhecer. Segundo os investigadores, o carro usado no crime foi um veículo preto, do irmão de Marinésio.
  6. Abuso sexual contra uma jovem de 23 anos. Ela pulou do carro em movimento para evitar ser estuprada.
  7. Uma mulher de 50 anos que foi abordada perto da região rural do Vale do Amanhecer.