Suspeito de violência doméstica, ameaça e porte ilegal de arma é autuado em São Félix do Xingu

Suspeito de cometer violência doméstica é autuado por porte ilegal de arma — Foto: Polícia Civil do Pará

Suspeito de cometer violência doméstica é autuado por porte ilegal de arma — Foto: Polícia Civil do Pará

Um homem suspeito de cometer crimes de violência doméstica, ameaças e posse irregular de arma de fogo, foi autuado na segunda-feira (7), em São Félix do Xingu, no sudeste do estado. A denúncia partiu da esposa do suspeito, após o mesmo tê-la ameaçado de morte.

De acordo com a Polícia Civil, uma equipe policial se direcionou até a casa do suspeito após a denúncia, onde foi encontrada uma arma de foto Cartucheira calibre 12 com dez munições intactas. O suspeito foi encaminhado à delegacia do município para os devidos procedimentos legais.

Fazendeiro é condenado a pagar R$ 3 milhões por desmatar área de floresta no Pará

Fazendeiro é condenado a pagar R$ 3 milhões por desmatar área de floresta no PA — Foto: Reprodução / IbamaFazendeiro é condenado a pagar R$ 3 milhões por desmatar área de floresta no PA — Foto: Reprodução / Ibama

Fazendeiro é condenado a pagar R$ 3 milhões por desmatar área de floresta no PA — Foto: Reprodução

Fzendeiro foi condenado pela Justiça do Pará a pagar R$ 3 milhões pelo desmatamento de cerca de 694 hectares de floresta no estado, área de preservação permanente e de reserva legal, de acordo com a Advocacia-Geral da União (AGU).

Segundo a AGU, a degradação ocorreu na fazenda “Nega Madalena”, localizada no interior da Gleba Carapanã, no município de São Félix do Xingu, sudeste do Pará.

O fazendeiro foi alvo de uma ação civil pública, pela qual a AGU pediu, além da indenização, o cancelamento do registro imobiliário e a reintegração definitiva da posse do imóvel ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).

A AGU informou que a suposta aquisição da propriedade ocorreu de forma clandestina, fraudulenta e com uso de matrícula falsa. “Isso foi descoberto após a propriedade ser alvo de apreensão pela Justiça por ser utilizada para tráfico de drogas”, afirmou o órgão.

A ação foi acolhida pela 1ª Vara Federal de Redenção, que julgou procedente os pedidos. A decisão, segundo a AGU, reconhecer que a fazenda é bem da União e que não foi demonstrado ser do fazendeiro a “legítima do bem, dada a falsidade do registro”.

A procuradora federal Patrícia da Cruz Sales disse que, além da indenização ser usada para a recuperação da área, a decisão beneficia “a parcela da população que aguarda a reforma agrária e que passa a ter essa área livre para destinação e o poder público que tem segurança jurídica para executar as políticas públicas de reforma agrária”, concluiu.

Ex-PM suspeito de matar advogado foge de batalhão onde estava preso em Palmas

Ex-PM foge do 1° Batalhão da Polícia Militar  — Foto: DivulgaçãoEx-PM foge do 1° Batalhão da Polícia Militar  — Foto: Divulgação

Ex-PM foge do 1° Batalhão da Polícia Militar — Foto: Divulgação

O ex-policial militar do Pará Wanderson Silva de Souza, suspeito de participar do assassinato do advogado Danilo Sandes em Araguaína, fugiu do 1º Batalhão da Polícia Militar em Palmas, onde estava preso desde setembro de 2017. A PM confirmou a fuga registrada na tarde deste sábado (5), mas não informou como o preso conseguiu escapar. Disse que o caso está sendo apurado.

A Polícia Militar disse, em nota, que equipes do Comando de Policiamento Especializado estão realizando buscas na tentativa de recapturar Souza. Os trabalhos contam com o auxílio do helicóptero do Centro Integrado de Operações Aéreas.

O ex-policial militar, bem como o os policiais Rone Marcelo Alves Paiva e João Oliveira, suspeitos de praticar o assassinato, foram transferidos para Palmas em setembro de 2017 porque em Araguaína não tinham vagas nos batalhões da PM.

Os três haviam sido presos em Marabá (PA), no dia 21 de setembro daquele ano em cumprimento a mandados de prisão.

O advogado foi morto no final de julho de 2017 por causa de uma disputa por uma herança no valor de R$ 7 milhões. A morte da vítima teria sido encomendada pelo farmacêutico Robson Barbosa da Costa, de 32 anos, segundo apontaram as investigações da PM. Ele era cliente do advogado e parte em uma ação ação de inventário.

Advogado Danilo Sandes foi assassinado em 2017 — Foto: DivulgaçãoAdvogado Danilo Sandes foi assassinado em 2017 — Foto: Divulgação

Advogado Danilo Sandes foi assassinado em 2017 — Foto: Divulgação

Indiciados

Em novembro de 2017, os suspeitos do assassinato foram indiciados pela Polícia Civil por homicídio triplamente qualificado. O farmacêutico Robson Barbosa é apontado como mandante e os policiais militares Rone Marcelo e João Oliveira e o ex-PM Wanderson Silva de Souza teriam executado o crime.

Os investigadores acreditam que Robson tenha decidido matar Danilo após ele se recusar a participar de uma fraude. Danillo representava Robson na disputa por uma herança de R$ 7 milhões e não quis ajudar o farmacêutico a esconder parte do dinheiro dos outros herdeiros.

O Ministério Público Estadual concordou com a conclusão da Polícia Civil e na época pediu à Justiça que os suspeitos tivessem a prisão preventiva decretada, aquele que não tem prazo para terminar. Eles já estavam presos, mas no sistema de prisão temporária.

O caso

Os investigadores afirmam que o farmacêutico se revoltou quando o advogado não aceitou participar de um esquema para ocultar bens. Danilo Sandes era responsável por fazer o inventário para toda a família, mas após a discussão deixou de representar Robson. Ao todo, seis pessoas disputam a herança.

Danilo desapareceu na manhã do dia 25 de julho de 2017. O amigo do advogado, José Ribamar Júnior, disse que ele foi visto pela última vez em um supermercado. “Ele deixou a mãe dele numa agência bancária, onde ela trabalha, e depois foi tomar café em um supermercado. Por volta das 9h, ele falou com a prima por telefone e disse que iria para Filadélfia, provavelmente resolver alguma questão ligada a um processo”.

O advogado foi procurado durante quatro dias. O corpo dele foi encontrado no dia 29 às margens da TO-222, em decomposição. Ele estava apenas de cueca, com marcas de lesões, sangue e fogo, a 18 km de Araguaína, perto de entroncamento com Babaçulândia. A perícia recolheu um par de sapatos encontrado no local.

O delegado responsável pela investigação, Rerisson Macedo, disse que ele foi morto com dois disparos de arma de fogo.

Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.

Papa Francisco pede respeito aos povos indígenas da Amazônia

Papa Francisco durante o Sínodo da Amazônia, no Vaticano — Foto: Remo Casilli/ReutersPapa Francisco durante o Sínodo da Amazônia, no Vaticano — Foto: Remo Casilli/Reuters

Papa Francisco durante o Sínodo da Amazônia, no Vaticano — Foto: Remo Casilli/Reuters

Papa Francisco afirmou nesta segunda-feira (7) que a sociedade moderna não deve tentar impor suas regras aos povos indígenas, mas sim respeitar sua cultura e permitir que eles planejem seu próprio futuro. A declaração foi dada durante a primeira sessão de trabalho dos bispos que participam do Sínodo sobre a Amazônia.

Francisco, que no passado pediu perdão em nome da Igreja pelos erros dos missionários europeus que acompanharam os primeiros colonizadores, disse que por muito tempo muitos na Igreja tiveram uma atitude “depreciativa” em relação aos povos nativos e suas culturas e culturas.

O encontro de bispos da Igreja Católica que neste ano vai discutir a floresta, começou neste domingo e vai até o dia 27 de outubro, no Vaticano. No encontro serão discutidos temas ambientais, sociais e próprios da Igreja Católica presente nos nove países que compreendem territórios da região amazônica: Brasil, Bolívia, Colômbia, Equador, Peru, Guiana, Guiana Francesa, Venezuela e Suriname.

Participam bispos, padres e freiras dessa região, além de estudiosos, pessoas ligadas à Organização das Nações Unidas (ONU) e membros dos escritórios do Vaticano (a Cúria Romana).

Mais brasileiros passam a consumir alimentos orgânicos, diz pesquisa

Um estudo do Organis, entidade de promoção do setor de orgânicos no Brasil, apontou um crescimento no consumo de alimentos produzidos sem agrotóxicos. A nova pesquisa divulgada pela instituição mostra que pelo menos 19% dos brasileiros consumiram algum tipo de produto orgânico num intervalo de um mês. Em 2017, o índice era de 15%.  Foram entrevistadas 1.027 pessoas, sendo 56% mulheres e 44% homens, de 18 a 40 anos, em doze cidades de todas as regiões do país, entre 7 de maio e 13 de junho.

Entre os que consomem orgânicos, 84% alegam motivos de saúde. Já entre as pessoas que não consomem nenhum tipo de produto orgânico, 43% justificam por causa do preço, 21% por dificuldade de encontrar os produtos, e 7% por falta de costume.

Azul lança ‘stopover’ para voos com conexão em São Paulo

Azul anunciou nesta sexta-feira, 4, que passará a oferecer o serviço de stopover a clientes da companhia que tenham conexões em aeroportos de São Paulo. O serviço, que permite que o passageiro faça paradas de alguns dias no destino intermediário, está disponível no site da empresa e é oferecido nos aeroportos de Viracopos (Campinas), Guarulhos e Congonhas.

A empresa é a segunda a iniciar essa prática, que é uma das contrapartidas negociadas com o governo do estado na redução do ICMS incidente sobre o querosene de aviação (de 25% para 12%). A Gol começou a vender voos com stopover em agosto, e a Latam ainda está negociando a operação com a administração paulista.

Apresentadora do Multishow repete xingamento a Bolsonaro

Após uma entrada ao vivo na noite deste sábado 5 no Rock in Rio, a apresentadora gaúcha Titi Müller, do canal por assinatura Multishow, acabou viralizando na internet. Enquanto aguardava a entrada da cantora Anitta, Titi direcionou o microfone para a plateia, a fim de captar os gritos de protesto do público que cantava “Ei, Bolsonaro, vai tomar no c*”.

Veja também

Nobel de Medicina premia trio por pesquisas sobre a adaptação das células ao oxigênio

Nobel de Medicina premia trio por pesquisas sobre a adaptação das células ao oxigênio

Os americanos William Kaelin (D) e Gregg Semenza (E) e o britânico Peter Ratcliffe (C), vencedores do Nobel de Medicina em 2019 – AFP

O Prêmio Nobel de Medicina foi atribuído nesta segunda-feira aos americanos William Kaelin e Gregg Semenza e ao britânico Peter Ratcliffe por suas pesquisas sobre a adaptação das células ao aporte variável de oxigênio, o que permite lutar contra a anemia e o câncer.

“O Prêmio Nobel deste ano recompensa pesquisas que revelam os mecanismos moleculares produzidos na adaptação das células ao aporte variável de oxigênio no corpo, o que abre caminho a estratégias promissoras para combater a anemia, o câncer e outras doenças”, destacou a Assembleia Nobel do Instituto Karolinska em Estocolmo.

“A importância fundamental do oxigênio é conhecido há muitos séculos, mas o processo de adaptação das células às variações do nível de oxigênio foi durante longo tempo um mistério”, explica a Assembleia.

Estes mecanismos também estão implicados nos tumores, cujo crescimento depende do aporte de oxigênio ao sangue.

Paraenses gastam quase 30% da renda familiar com aluguel e energia elétrica

Os paraenses gastam quase 30% da renda familiar com aluguel e energia elétrica, segundo dados divulgados pelo IBGE, referentes a 2018. Isso significa que maior parte do orçamento doméstico está comprometido com habitação.

O enfermeiro Charles Carvalho conta que precisa se organizar para manter as contas da família em dia, principalmente o aluguel. “Já compromete um pouco mais de 50% da renda, junto com alimentação e transporte”, afirma.

Muitas famílias no Pará têm a mesma realidade. Segundo os dados do IBGE, os paraenses gastaram, em média, 28,5% do orçamento familiar em despesas como aluguel e energia e quase 20% com alimentação. Segundo instituto, a maior parte da renda é comprometida com habitação, que inclui condomínio, contas de água, luz e internet. Ainda de acordo com o IBGE, 3,8% da renda foi destinada a impostos.

Advogado é preso após ser flagrado com 87 kg de maconha escondidos na lataria de carro

Um advogado de 49 anos foi preso pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Guaraí, na região central do estado, após ser flagrado com 87 kg de maconha em um carro SUV – veículo utilitário esportivo. A prisão aconteceu na BR-153, início da noite desta quinta-feira (3), após os agentes abordarem o veículo e sentirem o forte cheiro da droga.

A Polícia Civil informou que o homem, de iniciais A.C.J, apresentou a carteira da OAB do Mato Grosso do Sul e informou ao delegado que saiu de Campo Grande com destino a Castanhal, no Pará. O carro em que ele estava é alugado.

Tabletes de maconha foram encontrados em veículo — Foto: PRF/DivulgaçãoTabletes de maconha foram encontrados em veículo — Foto: PRF/Divulgação

Tabletes de maconha foram encontrados em veículo — Foto: PRF/Divulgação

De acordo com a PRF, ao ser questionado sobre o motivo da viagem o advogado informou que tinha clientes na região norte do país. Durante a revista, os agentes encontrados vários tabletes de maconha escondidos entre o forro das portas e a lataria do veículo, assim como em um estepe que não pertencia ao carro.

O advogado alegou desconhecer que a droga estava no veículo. Ele foi autuado em flagrante pelo crime de tráfico de drogas e deve ser levado para a Casa de Prisão Provisória de Guaraí.

Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.