POLÍCIA

Suicídio de policiais cresce 55% em um ano no Brasil


Matheus Moreira
São Paulo, SP

O suicídio de policiais no Brasil cresceu 55% entre 2020 e 2021, passando de 65 mortes para 101. As informações estão disponíveis no Anuário Brasileiro de Segurança Pública de 2022.

Os dados compilados pelo FBSP (Fórum Brasileiro de Segurança Pública) tratam das polícias Civil e Militar. A Polícia Militar foi a que mais registrou suicídios no período, passando de 52 para 80, um aumento percentual de 54%. Já na Polícia Civil o aumento percentual foi mais expressivo, de 61,5%, passando de 13 para 21 mortos.

O estado com maior número de agentes que se mataram é São Paulo: foram 16 policiais militares e oito policiais civis mortos em 2021. Todos estavam na ativa. Não é possível comparar os dados com 2020, uma vez que as informações não foram fornecidas pelo estado.

Assim como no caso de crimes contra população LGBTQIA+, o suicídio de policiais carece de uma produção eficiente de dados públicos. A falta de estatísticas impede que se compare o risco de suicídio entre policiais com o risco na população geral, problema que foi apontado último boletim do IPPES (Instituto de Pesquisa, Prevenção e Estudos em Suicídio) divulgado em 2021.

O balanço do Fórum de Segurança indica que Ceará, Goiás, Minas Gerais e Rio Grande do Norte não divulgaram dados sobre suicídio de PMs. No caso da Polícia Civil, Ceará e Rio Grande Norte também não compartilharam informações.

Dez estados não registraram casos de suicídio entre policiais civis no período.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo